Pró-Labore: Você já definiu o seu?

Pró-Labore: Você já definiu o seu?

Pró-Labore: Você já definiu o seu?

Uma das tarefas necessárias e que por vezes não é realizada pelo empresário é a definição do seu pro-labore. Pro-labore vem do latim “pelo trabalho”, traduzindo para uma forma mais didática, é o salário do sócio ou do dono. Mas como assim, eu sou dono da empresa e tenho que definir um salário para mim?

Sim, e por uma série de razões, primeiro: por uma questão de organização financeira, você não pode a todo o momento fazer retiradas de valores da empresa, isso prejudica qualquer tentativa de controle. Segundo: por questões previdenciárias, você tem que planejar quanto quer contribuir para seu fundo de aposentadoria ou seguro social para um caso de acidente de trabalho. Terceiro: disciplina, esse é um dos fatores chave para a prosperidade de qualquer negócio, se você não definir e tiver claro quanto você precisa ganhar como vai planejar no mínimo as necessidades de venda? Mas como definir o valor das retiradas de pro-labore?

Bom, primeiramente, pelas suas necessidades pessoais. Saber quanto você precisa para manter sua família (alimentação, transporte, lazer, vestuário, manutenção) já ajuda na definição, outra forma é quanto um profissional do mercado receberia para fazer as mesmas funções que você desempenha e claro, quanto a sua empresa tem de capacidade financeira para honrar com o pro-labore que você necessita.

Se você não tiver um controle financeiro mínimo das entradas e saídas de recursos da empresa, dos custos fixos e variáveis ou um Demonstrativo de Resultado (DRE), vai ser complicado, porque nem sempre ter dinheiro em caixa é ter lucro/sobras, isso são coisas bem distintas e ai é que está o grande engano da maioria e também o início do fim de um negócio.

Você pode em um primeiro momento definir uma retirada de pro-labore menor, por questão de custos tributários, pois sobre esta retirada, vão incidir o INSS e o Imposto de Renda, mas ao mesmo tempo se tiver uma contabilidade regular, que irá lhe apontar os reais resultados e em caso de lucro, poderá fazer as retiradas necessárias isentas de INSS e Imposto de Renda.

Ainda assim, por mais que a contabilidade lhe aponte lucros, o aconselhável é que haja prudência nas retiradas da empresa, o resultado em sua grande maioria deve ser reinvestido no negócio, em capital de giro, estoques, tecnologia, recursos humanos, layout, inovação, etc… Isso é que vai lhe dar possibilidades de sustentação em um mercado extremamente competitivo.

Caso você não tenha um valor de pro-labore definido, reflita sobre a questão. Sei que por vezes é complicado, principalmente em pequenos negócios, separar a Pessoa Física (CPF) da Pessoa Jurídica (CNPJ), mas é necessário, por isso existem essas duas definições. Você trabalha na empresa, pela empresa então nada mais justo que ela lhe pague sobre esse esforço. Mas você não deve jamais sacrificar a saúde financeira dela em virtude de uma falta de controle e planejamento.

A definição de pro-labore não é uma tarefa complicada, não carece de muitas informações e é uma questão bastante pessoal, mas se isso lhe for uma tarefa difícil, procure ajuda capacitada, com um consultor, contador, aprenda a analisar os resultados de sua empresa, familiarize-se com os números, pois ninguém mais que você quer que seu negócio prospere e lhe dê um excelente e merecido pro-labore.



Posts mais vistos

shares